Eleição do Conselho Tutelar é anulada pela justiça em Luziânia

Juíza determinou a realização de novo pleito eleitoral na cidade

A Eleição do Conselho Tutelar em Luziânia, no Entorno do Distrito Federal, foi parar na justiça após o Ministério Público do Estado de Goiás receber denúncias de várias irregularidades. A anulação do pleito aconteceu a partir de uma determinação da juíza Célia Regina Lara.

O MP ordena que a Prefeitura de Luziânia forneça uma nova estrutura para realização de novas eleições, sob pena de R$ 500 mil de multa em caso de descumprimento.

A magistrada Célia Regina requisitou que o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), responsável pelo pleito, constitua uma nova comissão eleitoral e apresente um novo cronograma para o processo.

A juíza também decidiu manter os atuais conselheiros no cargo até a posse dos que serão eleitos no novo processo eleitoral. Na decisão, ela destacou que o Ministério Público recebeu "inúmeras denúncias de irregularidades ocorridas no dia da votação que comprometem a lisura do certame e colocaram em xeque a validade e a credibilidade do resultado".

Segundo a justiça, entre as irregularidades estão boca de urna, compra e venda de votos, uso de celulares nas sessões e candidatos que prometeram cestas básicas e até instalação de abastecimento de água em casas em troca de votos.

Da Redação do Alô Valparaíso/*Com as informações do G1 Goiás
conselho tutelar luziânia

Em Luziânia, eleição do Conselho Tutelar é anulada pela justiça. (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

Compartilhe esta matéria!