Compartilhe esta matéria!

Dezembro vermelho: mês da prevenção às infecções sexualmente transmissíveis

A campanha promove a assistência, proteção e promoção dos direitos humanos das pessoas que vivem com IST

O Dezembro Vermelho chama atenção para a prevenção e diagnóstico precoce do HIV e do tratamento contra a Aids e outras infecções sexualmente transmissíveis (IST). A campanha promove a assistência, proteção e promoção dos direitos humanos das pessoas que vivem com IST.. 

Muitas vezes as pessoas por medo e preconceito não procuram as unidades de saúde para fazer o teste de detecção da doença. Em Valparaíso a Secretaria de Saúde está intensificando as ações de testagem para Sífilis, Aids, Hepatite B e C em todas as unidades de saúde do município.

AIDS

O 1° de dezembro é reservado para o Dia Mundial de Luta contra a Aids. A data foi instituída como forma de conscientizar sobre as formas de contágio da doença. De acordo com o  Ministério da Saúde, a Aids é a doença causada pela infecção do vírus HIV, que ataca o sistema imunológico, responsável por defender o organismo de doenças. 

O vírus pode ser transmitido pelas relações sexuais desprotegidas, pelo compartilhamento de seringas contaminadas ou de mãe para filho durante a gravidez e a amamentação, quando não tomam as devidas medidas de prevenção. Por isso, é essencial se proteger em todas as situações e fazer regularmente o exame.

É importante destacar que ter HIV não é o mesmo que ter Aids, pois há muitos soropositivos que vivem anos sem apresentar sintomas e sem desenvolver a doença.

Prevenção 

O Ministério da Saúde alerta que a melhor técnica de evitar o HIV/Aids é a prevenção combinada, que consiste no uso simultâneo de diferentes abordagens de prevenção, aplicadas em diversos níveis para responder às necessidades específicas de determinados segmentos populacionais e de determinadas formas de transmissão do HIV.

A prevenção combinada abrange o uso do preservativo masculino ou feminino, ações de prevenção, diagnóstico e tratamento das IST, testagem para HIV, sífilis e hepatites virais B e C, profilaxia pós-exposição ao HIV, imunização para HPV e hepatite B, prevenção da transmissão vertical de HIV, sífilis e hepatite B, tratamento antirretroviral para todas as pessoas vivendo com HIV, redução de danos, entre outros.

Alô Valparaíso/Com as informações Agência Brasil