O desaparecimento da estudante de Enfermagem, Thayna Ferreira Alves, de 21 anos, completa um ano nesta sexta-feira (16). 

A jovem moradora de Valparaíso de Goiás foi vista pela última vez no dia 16 de fevereiro de 2017, acompanhada do padrasto, Waldezar Cordeiro de Matos, de 65 anos. Na época, imagens de câmeras de segurança mostraram ela saindo de carro para que ele a deixasse no ponto de ônibus da passarela amarela, às margens da rodovia BR-040. Após alguns meses, Waldezar foi preso temporariamente suspeito de ter assassinado a garota e negou a acusação.

No ano passado, a Polícia Civil informou à TV Anhanguera que laudos de uma perícia apontaram que havia sangue humano nas roupas, na bainha de uma faca e dentro do carro do acusado. Contudo, sem um resultado conclusivo de que o DNA encontrado fosse o de Thayna, ele acabou sendo solto da prisão após um mês de detenção.

Sem notícias sobre o caso de desaparecimento da filha, a mãe Jussara Ferreira, resolveu marcar outra manifestação para pedir justiça e sensibilizar as autoridades cobrando atenção especial na investigação. “Quero convidar cada um de vocês, amigos e familiares, para a manifestação nessa sexta-feira, às 18 horas, aqui na BR-040, na passarela onde principal suspeito disse que deixou ela. Gente quero ver essas pessoas que fizeram isso com minha filha na cadeia. Quero chamar a atenção do mundo para esse caso, porque além de ser um caso sem desfecho, eu mãe dela não vou deixar no esquecimento. Vou lutar todos os dias para colocar esses vagabundos na cadeia”, escreveu em seu perfil no Facebook.

Da Redação do Alô Valparaíso