O governo de Goiás está em alerta máximo para a dengue no Entorno. Em apenas sete dias os casos aumentaram 90,8%. Saltou de 2.592 doentes na semana passada para 4.974 casos atualmente. Os dados estão no mais recente Boletim Epidemiológico divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde. Dezessete mortes estão em investigação.

Luziânia (1.594), Santo Antônio do Descoberto (597), Valparaíso (591) e Cidade Ocidental (575) são os municípios com as maiores contaminações — estão em emergência para a alta incidência do Aedes aegypti. Na última região, a alta atingiu 525%. “Esse grave quadro impõe a necessidade de fortalecimento da assistência à saúde e do combate sistemático e contínuo ao mosquito transmissor”, alerta comunicado publicado no site da pasta goiana.

“Esse grave quadro impõe a necessidade de fortalecimento da assistência à saúde e do combate sistemático e contínuo ao mosquito transmissor”, reforça o texto. No total, Goiás contabiliza 32.642 casos de dengue — alta de 9,78% em relação ao mesmo período do ano passado. Autoridades sanitárias investigam 17 mortes. Destas, quatro são no Entorno. O problema é maior em 51 municípios, onde há o alto risco de contaminação.

Problemas

A Secretaria de Saúde cancelou a divulgação do Boletim Epidemiológico dos casos de dengue, zika e chicungunha referente à sétima semana de 2016. A capital federal não contabilizou quantas pessoas estão doentes atualmente.

O problema está ligado ao Sistema de Notificação de Agravos (Sinan), do Ministério da Saúde. A autarquia federal nega que a ferramenta tenha ficado fora do ar. Entretanto, até a publicação dessa reportagem, não havia como extrair o documento do banco de dados.

Maranhão, Pará, Rio de Janeiro, Paraíba, Acre e Rio Grande do Sul registraram o mesmo problema. Goiás e Minas Gerais divulgaram os dados desta semana. Porém, os estados usam plataforma independentes.

Postado com as informações do Correio Braziliense