(Foto: Acácio Pinheiro/Agência Brasília)

Compartilhe esta matéria!

De A a Z, tem nome para todo gosto no Zoológico de Brasília

Conheça alguns nomes de animais dentre as 168 espécies que vivem no zoo

Nem todos os animais do Jardim Zoológico de Brasília têm apelidos, mas quem recebeu um nome não pode se queixar. Essa foi a maneira carinhosa encontrada para identificar os animais, às vezes por causa de suas características físicas, personalidade e até pelo “jeitão”. É um diferencial atencioso e respeitoso. Afinal, o Zoológico de Brasília abriga 168 espécies, sendo 63 de mamíferos, 73 de aves e 32 de répteis.

Todos os mamíferos e répteis têm nomes; e cerca de 40% das aves, como algumas araras, gaviões e outros pássaros maiores. É pelo apelido que os funcionários do zoo sabem, rapidamente, de que animal se trata quando alguém faz alguma referência. Assim, o apelido evita que a bicharada seja identificada por números.

No seio das tradicionais famílias do zoo, o amor vai se disseminando pelas novas gerações. Lipe e Bel, os primatas da espécie bugio-de-mãos-ruivas, vivem as alegrias de uma vida sem rotina, depois da chegada do “herdeiro”, em agosto do ano passado. O nascimento do filhote em plena capital do país trouxe também esperança para a conservação da espécie, ameaçada de extinção.

Melão e Melancia, papais de primeira viagem, ainda estão se adaptando às exigências do novo membro da família. O casal de antas que chegou a Brasília e se reproduziu em cativeiro curte as peraltices do filhote, Pepino, nascido em janeiro. Família feliz, visitantes ainda mais felizes com a presença do maior mamífero brasileiro no zoo de Brasília.

Bin Laden perambula de um lado para o outro, sem medo de ser feliz. O cuxiú parece livre de qualquer rancor por ter recebido o mesmo nome do terrorista. Cordial, não manifesta insatisfação quando visitantes deselegantes fazem chacota com seu nome. O xará de péssima reputação não lhe tira o sossego. Velozes, ariscos e espertos, os cuxiús são capazes de buscar companhia com outras espécies de primatas para se protegerem de predadores naturais.

Não espere um final feliz para a Bela e a Fera. Sociabilidade é característica de Bela, um cervo-nobre, mas Fera é um cachorro-do-mato selvagem, com hábitos para lá de solitários. Além disso, eles são do mesmo sexo, o que, talvez, nem seja problema. Vai saber…

A equipe de Manchester agora iguala a façanha do Liverpool ao vencer a competição por quatro temporadas consecutivas e também se junta ao Liverpool como o maior campeão de edições da Copa da Liga (oito vitórias no total).

O Tottenham, que tinha o técnico estreante Ryan Mason no banco de reservas após a demissão de José Mourinho na semana passada, teve um desempenho decepcionante e a espera pelo primeiro troféu desde a conquista da Copa da Liga de 2008 continua.

Após a derrota do City na semifinal da Copa da Inglaterra para o Chelsea no último fim de semana, a equipe conseguiu a primeira parte do que pode ser uma conquista tripla, com o título da Premier League praticamente garantido, e uma semifinal de Champions League contra o Paris St Germain pela frente.

Alô Valparaíso/Com a colaboração da Agência Brasília