(Foto: Divulgação/Enel/Banco de Imagem)

Compartilhe esta matéria!

Cresce em 28% número de ocorrência de queda de energia por pipa na rede elétrica

Mais de 185 mil unidades consumidoras já ficaram sem energia neste ano por conta da

Pipas e rede elétrica são uma combinação perigosa. Quando não se leva em consideração a segurança, a brincadeira pode ocasionar desligamentos na rede de energia e até provocar acidentes graves. Entre janeiro e agosto deste ano houve aumento de 28% nas interrupções do fornecimento provocadas por pipas, em comparação com o mesmo período do ano passado.

Goiânia e Aparecida são as cidades que concentram o maior número de ocorrências. Somente os dois municípios respondem por cerca de 35% de todos os casos do Estado. Enquanto Goiânia teve uma queda de -7,85% nas interrupções de energia causadas por pipas, contudo, Aparecida apresentou um aumento de 26,35%. Anápolis, por sua vez, teve crescimento de 155% nesse tipo de ocorrência. 

Somente neste ano mais de 185 mil unidades consumidoras ficaram sem energia elétrica por conta do contato de pipas com a rede elétrica. Equipes da distribuidora precisaram fazer os reparos necessários na rede elétrica e substituir parte dos fios para restabelecer o serviço para a população. 

Abaixo, algumas orientações importantes:  

– Soltar pipas perto da rede elétrica é muito perigoso. Elas podem enroscar nos fios com risco de descarga elétrica. Materiais metálicos também não devem ser utilizados na fabricação deste brinquedo, pois conduzem eletricidade, aumentando a chance de choque elétrico, podendo causar até a morte de uma pessoa.  

– O uso da chamada linha chilena, que possui poder de corte quatro vezes maior que o cerol tradicionalmente usado nas pipas, tem agravado ainda mais a situação. O risco de acidentes fatais é alto para pedestres e motociclistas e os danos à rede elétrica também são maiores.  

- Não encostar em qualquer objeto estranho que esteja pendurado à rede elétrica.  

– O uso de cerol (pó de vidro com cola) oferece mais um risco: ele corta a camada de borracha que reveste os fios de alumínio ou de cobre, criando a situação de transferência de corrente elétrica. Além disso, o uso de cerol também pode provocar acidentes com motociclistas.  

– O lançamento de pipas, sapatos, bolas, marimbas, bandeirinhas e balões pode causar acidentes graves. As linhas das pipas cortam os cabos elétricos, além de gerar risco de descargas elétricas no momento em que o objeto encosta na rede e as pessoas se arriscam também ao tentar recuperar pipas e outros itens presos na fiação.  

– A população não deve tentar mexer em qualquer componente da rede elétrica, como a fiação aérea, por exemplo. Somente técnicos da distribuidora, treinados para este trabalho que exige o uso de equipamentos de segurança, estão aptos a manusear a rede elétrica.   

– A Enel orienta que em casos de cabos partidos, os clientes devem manter-se afastados e avisar imediatamente a distribuidora pela Central de Atendimento (0800-62-0196), ou pelos perfis nas redes sociais Facebook (www.facebook.com/EnelClientesBR) e Twitter (@EnelClientesBR). 

Sobre a Enel Distribuição Goiás  

A Enel Distribuição Goiás, subsidiária da multinacional italiana Enel, atende 237 municípios do Estado de Goiás, abrangendo 98,7% do território estadual, com cobertura de uma área de 336.871 km². A Região Metropolitana de Goiânia representa a maior concentração do total de 3 milhões de clientes atendidos pela companhia. 

Com a colaboração da Enel-GO/Matheus Asafe