Compartilhe esta matéria!

Conheça o poder de cura da nova medicina germânica

    Terapeuta reúne diferentes técnicas para tratar da saúde mental e emocional

 

 Descoberta pelo alemão Dr. Ryke Geerd Hamer em meados dos anos 80, a nova medicina germânica propõe uma nova percepção sobre as doenças,

afirmando que elas não existem e que tudo aquilo que nos faz adoecer tem uma causa biológica, erroneamente entendida como uma doença que supostamente acontece por acaso ou de maneira natural e que foge ao nosso controle. Pelo contrário: todos os males que nosso corpo expressa estariam relacionados a algo que, de fato, nos aconteceu.

            Uma das bases utilizadas nas sessões, é a medicina germânica, mas ela não é a única. A psicoterapia sistêmica, que faz o paciente entender, por exemplo, quais traumas ele está repetindo da família, a física quântica, que explica tudo aquilo que os olhos não veem, a programação neurolinguística (PNL) que pode ser definida como um processo educacional sobre como usar melhor o nosso cérebro, ainda a leitura corporal e facial que determinam a personalidade e o comportamento do paciente, são todas as técnicas aplicadas simultaneamente nas sessões.

(joãoguimalhaes/Reprodução)

 A terapeuta sistêmica Syrlene Consoli explica a atuação da nova medicina germânica, na cura das doenças “Imagine uma mulher que trabalha muito e começa a sentir muita dor no corpo. Ela vai ao médico e, provavelmente, receberá o diagnóstico de fibromialgia junto com um atestado para se afastar do trabalho por algum tempo. Na sessão da Nova Medicina Germânica nós entendemos que não existe a fibromialgia. Aquele corpo está doendo porque essa mulher sofre muita desvalorização no ambiente profissional. Está insuportável trabalhar. Aí o corpo cria o processo de dor para que ela possa sair do trabalho. Enquanto ela não resolver a maneira como ela encara o trabalho ou mudar de trabalho, ela vai ter dor, porque o corpo não aguenta mais essa percepção que ela possui da própria vida profissional. É muito sofrido levantar de manhã e ir trabalhar todos os dias”. finaliza.

            Inicialmente é feita uma anamnese do paciente, quando são observados as queixas e os desconfortos, e para traçar os trilhos que levaram esta pessoa e o seu corpo a desenvolver determinada ‘doença’ ou sintomas; em seguida, é informado ao paciente o porquê de o organismo ter escolhido os caminhos que estão gerando os desconfortos, ou seja, qual o conflito inicial que causou tal reação no corpo. Depois disso são usadas informações verbais para estimular o organismo, permitindo que o corpo volte ao seu estado normal de autocorreção e funcionamento, sem o uso de nenhum medicamento.

            É indicada para todos os tipos de disfunções do organismo como exemplo: rinites, sinusites, alergias em geral, depressões, fibromialgia, gastrites, refluxos, problemas intestinais, enxaquecas, dores musculares, tendinites, hérnias de disco, insônias, vitiligo, ansiedades, fobias, emagrecimento, problemas respiratórios, entre outras. Pode ser utilizada em crianças, adultos e em idosos.

Alô Valparaíso/ Com informações