Nesta terça-feira, dia 29 de março, Lucineide Perciliano de Oliveira, moradora do Anhanguera B, entrou em contato com o Alô Valparaíso para denunciar a venda de carne estragada na unidade de um grande Supermercado em Valparaíso de Goiás, cidade goiana do Entorno de Brasília.

Lucineide Perciliano, contou a nossa redação que na última segunda-feira, foi até o Supermercado Mais Econômico, na unidade localizada no bairro Jardim Oriente, onde na ocasião comprou 758 gramas de acém moído e pagou o valor de R$ 12,49. No entanto, na manhã de hoje, a cliente do estabelecimento comercial foi surpreendida com a carne totalmente estragada. Vejam abaixo as fotos enviadas pela consumidora.

Ainda de acordo com Lucineide, no ato da compra a carne não foi moída na hora e essa pode ser uma justificativa para o alimento estar com uma coloração que levanta suspeita. “Comprei o acém moído ontem à noite e coloquei-o na geladeira. Hoje quando abri o saco percebi que estava com o cheiro de carne podre e com a cor esverdeada”, concluiu com revolta a cliente do Supermercado.

Os direitos do consumidor garantem que o cliente tem o direito de reclamar sempre que adquirir um produto impróprio para o consumo. Ao ser indagada se já procurou o Procon ou a Vigilância Sanitária, Lucineide Perciliano afirmou que não buscou seus direitos e que não pretende mais comprar na Rede de Supermercados.

O Código de Defesa do Consumidor (CDC), por meio do artigo 18, assegura o direito à troca ou restituição do valor pago. De acordo com o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), em regra, a reparação do dano é de responsabilidade do fabricante, produtor ou do importador do alimento, que têm até 30 dias para sanar o problema.

Por Marcelo Carlos

12921113_10205306878303055_973563690_n 12921161_10205306878023048_494855571_n