A cidade goiano de Cristalina, no Entorno do Distrito Federal, é a segunda que mais criou postos de trabalho com carteira assinada no Brasil no primeiro semestre de 2016, com 4096 oportunidades no período, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). O saldo de contratações e demissões foi positivo devido à agricultura e ao setor de obras, como explicou a coordenadora do Site Nacional do Emprego (Sine) no município, Elaine Sachinello, em entrevista ao G1. “Cristalina está na contramão da crise. Todo mundo está demitindo e aqui estão contratando. Tenho, no momento, 22 vagas abertas para diversas áreas”, disse.

Segundo a coordenadora, a maior parte das vagas de emprego na cidade é para os setores de agronegócio e construção, por causa de rodovias da região que estão sendo duplicadas ou reformadas. Elaine afirma que uma das rodovias havia parado os trabalhos de realização de retornos e retomou as obras no último mês de maio, o que pode ter gerado maior abertura de vagas.

“Os produtores rurais da região sempre contratam para plantio e depois para a colheita, então são vagas temporárias que sempre aparecem para os trabalhadores rurais. Além deles há um grande número de vagas para servente, pedreiro e operadores de máquinas, para trabalharem nas rodovias que passam pela cidade e que estão em obras”, explicou.

Elaine esclarece ainda que o maior número de pessoas empregadas na cidade gera movimento econômico na cidade. “Os trabalhadores gastam aqui no município, o que gera renda e expande o comercio. Acredito que continue aumentando as contratações pela localização privilegiada, não sinto diminuição de vagas. Vem muita gente de outras cidades e outros estados procurando, mas damos preferência para quem mora aqui”, disse.

Contratações em alta

A assistente de recursos humanos de uma fazenda de produção de cana de açúcar, milho e soja da região, Renata da Costa Caixeta Dias, afirma que contratou 258 funcionários durante o primeiro semestre de 2016. Destes, 163 trabalhadores continuam ativos na empresa.

“Sempre contratamos entre 170 e 180 pessoas para vagas temporárias de seis meses para a colheita de cana de açúcar. São vagas para operadores de máquinas, motoristas, serviços gerais do campo e almoxarifado. Nas contratações do ano passado efetivamos 40 pessoas. No momento ainda temos vagas para motoristas que fazem o transporte de cana de açúcar da fazenda para as usinas”, disse.

O coordenador de obras de uma empresa de terraplenagem, Maurício Paiva, afirmou que fez 30 contratações entre janeiro e junho deste ano para realizar serviços de manutenção da BR-040.

“O trabalho feito de roçada manual da vegetação, limpeza de placas e bueiros, retirada de animais mortos, poda, enfim, toda a manutenção da rodovia. Priorizamos a contratação de pessoas da região para evitar custos com hospedagem e outros. Devemos contratar mais pessoas após dezembro deste anos, quando chegarão novas máquinas e vamos precisar de mais pessoas”, afirmou.

Postado por Marcelo Carlos (com as informações do G1)