Com a chegada do inverno, oficialmente, no último dia 20, as temperaturas ficam mais baixas e o clima mais seco. Essas características propiciam o aparecimento de doenças respiratórias, principalmente para aquelas pessoas que têm alguma alergia respiratória. Os males mais comuns nessa época são virose, sinusite, asma, rinite e bronquite.

O infectologista do Hospital de Doenças Tropicais Dr. Anuar Auad (HDT), Boaventura Braz de Queiroz, diz que a melhor prevenção é a hidratação. Lavar bem as mãos também é necessário. Outras recomendações são colocar toalhas ou umidificadores no quarto e quando estiver em casa, a dica é deixar o ambiente livre para a circulação do ar e sem objetos que acumulem poeira.

Boaventura explica que nesta época do ano as vias respiratórias ficam mais inflamadas facilitando a colonização de germes, bactérias e vírus, provocando assim processos infecciosos. Ele lembra que crianças e idosos têm imunidade mais baixa e são os mais atingidos, tendo que tomar cuidados redobrados.

Outra orientação importante é se vacinar contra as doenças que acometem nesta época. “Todas as possibilidades de prevenção através de vacina devem ser feitas”. Em caso de qualquer sintoma de processo infeccioso ou alérgico é preciso procurar orientações médicas para os devidos diagnósticos e tratamentos.

Síndrome Respiratória Aguda Grave 
A Secretaria da Saúde de Goiás (SES) divulgou no último dia 22 o Boletim Semanal de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) referente aos dados notificados até a Semana Epidemiológica 25, de 3 de janeiro a 21 de junho de 2016.

Foram notificados 891 casos de SRAG, com 129 mortes. Os registros da SES também apontam que houve 307 casos de H1N1, com 56 mortes. Embora o ápice dos casos de SRAG e da epidemia de H1N1 tenha passado, a equipe técnica da Secretaria da Saúde recomenda que a população continue com os cuidados essenciais para prevenir doenças respiratórias, entre elas evitar aglomerações, não compartilhar objetos de uso pessoal e higienizar as mãos com frequência.

Postado por Marcelo Carlos (com as informações de Goiás Agora)