Os moradores de Valparaíso de Goiás descobriram um novo ponto de encontro para praticar caminhadas regulares durante a manhã e o fim da tarde. Eu estou falando do Calçadão do Parque Rio Branco, um lugar que se tornou para a população uma academia ao céu aberto e que vem sendo usado na prática de corridas e caminhadas.

Sabemos que caminhar faz bem a saúde, já que o exercício contribui para a prevenção de doenças, combate a obesidade e ajuda a melhorar a autoestima. No entanto, homens e mulheres, sejam eles jovens ou adultos, não estão tendo sossego na realização destas atividades. E o grande motivo, é a falta de segurança na região. Vale a pena destacar, a iluminação precária e as poucas rondas policiais que passam por este trecho. Fatos que contribuem para o alastramento da onda de violência numa área que devia ser olhada com bons olhos pelo Poder Público.

Foto: Marcelo Carlos – Caminhadas no Calçadão do Parque Rio Branco atraem assaltantes.

De acordo com os moradores, o Calcação da Rua das Palmeiras, virou um lugar estratégico para a bandidagem agir e não importa o horário. Vários assaltos estão sendo realizados e o povo com medo pede socorro. Segundo relatos, os assaltantes não estão poupando ninguém. Mulheres grávidas até senhoras de idade já foram assaltadas durante caminhadas. Meliantes estão chegando de repente em motos ou bicicletas, e durante poucos segundos fazem a festa do crime.

“Moro no Parque das Árvores e minha mãe mesmo já foi assaltada por quatro menores, uma delas era uma menina de 13 anos. Levaram bolsa e celular”, afirmou Andressa Nascimento.

Foto: Marcelo Carlos – Moradores pedem mais segurança na Avenida das Palmeiras.

A falta de segurança é generalizada no Entorno do Distrito Federal. Infelizmente, os criminosos estão tomando de Valparaíso de Goiás e amedrontando muitas pessoas de bem. Hoje, os munícipes estão proibidos de fazer caminhadas em áreas publicas da cidade, pois correm grandes riscos de virarem estatísticas da violência que assola diversas comunidades da Jovem Perola do Entorno.

“Tenho uma lanchonete bem perto do Calçadão e minha filha foi assaltada no portão junto com o namorado por dois indivíduos armados, que tentaram entrar e dias depois retornaram para lanchar (observar). Outros comerciantes próximos foram assaltados e agredidos”, disse uma comerciante.

Definitivamente, a malandragem apoderou-se do nosso Município. Ao que tudo indica os governos Municipal, Estadual e Federal não estão ligando para essa situação alarmante. Enquanto isso, a sociedade valparaisense segue desprotegida.

Por Marcelo Carlos