Banco do Brasil vai indenizar correntista impedida de entrar em agência do interior

Cliente precisou entrar no banco com R$ 13 mil em dinheiro para depositar

Após impedir uma correntista de entrar na agência do município de Fazenda Nova por conta da porta giratória com detector de metais, o Banco do Brasil foi condenado a indenizar a mulher, por danos morais, arbitrados em R$ 10 mil. A cliente passou várias vezes pela porta, retirando todos seus pertences de sua bolsa, sendo então obrigada a deixá-la do lado de fora e entrar no banco com o dinheiro que queria depositar na mão.

Segundo o Juiz responsável pela sentença, a cidade, com seis mil habitantes, onde aconteceu o fato, é um local pequeno, e onde todos se conhecem, inclusive funcionários da instituição bancária e correntistas.

“A parte ré, como único banco de toda a comarca, deve adaptar seu atendimento à realidade local na medida do possível. Não se propõe aqui um regramento novo do banco para cada cidade, mas um tratamento (diferente de regramento) que permita contemplar as peculiaridades dos costumes locais, sem ferir a lei ou as normas de segurança”, enfatizou o magistrado.

Consta ainda que a cliente se dirigiu ao banco com a quantia de R$ 13 mil em dinheiro para depositar. Na ocasião, ela pediu ao segurança, em vão, para que ele olhasse o interior de sua bolsa e chamou pelos gerentes.

No entanto, a tentativa foi em vão. A mulher acabou tendo que deixar a bolsa no chão e entrar, apenas, com o dinheiro na mão. Na petição, ela alegou que se sentiu humilhada na frente dos demais clientes.

Da Redação do Alô Valparaíso

Agência do Banco do Brasil de Fazenda Nova. (Foto: Reprodução/Google Maps)

Compartilhe esta matéria!