Advogado é flagrado ao tentar entregar celulares para cliente em presídio de Goiás

Segundo a DGAP, o flagrante ocorreu durante a visita para atendimento jurídico ao preso, que também é filho dele

Na última terça-feira (23), servidores plantonistas da segurança penitenciária do Centro de Inserção Social (CIS) Monsenhor Luís Ilc, em Anápolis, flagraram o advogado João Batista Canedo, 72 anos, durante tentativa de entrega de três aparelhos celulares e três carregadores dos respectivos aparelhos ao preso Antônio Marmo Canedo, cliente e filho dele.

Segundo a Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP), o fato ocorreu durante visita do advogado ao filho, no parlatório da unidade prisional. O flagrante foi possível porque os servidores perceberam o barulho no momento em que os dois arrombaram a divisória de acrílico a qual divide o espaço que separa o advogado do cliente, na referida sala, própria e exclusiva ao atendimento jurídico de advogados aos clientes.

De acordo com o diretor do presídio, o agente de Segurança Prisional, Leonardo Rodrigues, o material apreendido e o advogado foram conduzidos à autoridade policial onde ele foi autuado em flagrante por crime contra a administração pública e também por ele portar a carteira da OAB com registro cancelado.

A direção da unidade abriu procedimento administrativo para a aplicação das possíveis punições administrativas, na forma da lei, ao preso que receberia o material ilícito, e a verificação da entrada do advogado com a OAB sem validade.

Ainda de acordo com a direção do local, o rigor na segurança penitenciária no estabelecimento responde às determinações do Governo do Estado em consonância com as políticas de gestão da Secretaria de Segurança Pública e da Diretoria-Geral de Administração Penitenciária.

Da Redação do Alô Valparaíso/Com as informações DGAP

O advogado detido é pai de um detento do presídio. (Foto: Divulgação/DGAP)

Compartilhe esta matéria!