Compartilhe esta matéria!

Açúcar e seus malefícios para a audição

Além do açúcar Álcool e tabaco também estão na lista dos vilões que afetam a saúde do ouvido

Segundo pesquisa realizada pela médica Sharon Curhan e estudiosas da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, a má alimentação pode causar sérios danos à audição, podendo levar à surdez. Segundo o estudo, pessoas que consomem alimentos saudáveis têm 30% menos chances de sofrer com a perda auditiva. 

o índice exagerado de açúcar no organismo danifica os vasos sanguíneos na área auditiva e pode levar à surdez. 

 Dessa forma, a capacidade de transmissão do som e a sensibilidade de partes essenciais no processo pleno de audição são afetadas. O nível excessivo de glicose pode, inclusive, causar infecções no canal auditivo de pessoas já portadoras de aparelhos específicos para a deficiência. As paredes da cóclea, parte fundamental do ouvido interno, tendem a estreitar-se e existe uma perda de células importantes para a tarefa devido ao número de açúcar exagerado.

Na avaliação da especialista em saúde auditiva Gilvânia Barbosa, o consumo excessivo de alimentos açucarados aumenta a insulina, que em grande quantidade no organismo pode causar a perda da audição. “O indivíduo que come muitos doces, chocolate e ingere muito refrigerante pode ter sérios danos na audição. Isso porque pode afetar os estímulos das vias neurais, que levam informação do ouvido para o cérebro”, alerta Gilvânia. 

Segundo a especialista, uma dieta não equilibrada pode causar sintomas, como zumbido, tontura, além da surdez. “Outros fatores que também podem acarretar prejuízos à audição é o tabagismo e álcool”, explica Barbosa. 

Fones de ouvido de laranja Foto: saudeabril

Diabetes

O diabetes desregulado também é causador de problemas na microcirculação da área responsável pela audição. “Nesse caso, o paciente pode sofrer com o aparecimento do zumbido por conta do alto nível de glicose no sangue. Então, é de extrema importância ter o diabetes controlado”, explica a especialista. 

Ela ainda alerta: “Ao sinal de qualquer alteração na audição é indispensável procurar um especialista, pois há casos em que a perda auditiva é irreversível”, alerta. 

Sintomas

 Permanecer atento aos sintomas é de extrema importância para o tratamento de tal deficiência, potencializando a eficiência dos cuidados. Aspectos comumente passados desapercebidos como tonturas, incapacidade de entender plenamente uma conversa e zumbido frequente são indícios merecedores de atenção. 

 A sensação de frequentemente não compreender o que as pessoas falam, necessitando de uma repetição é preocupante. Além disso, o hábito de ouvir e assistir tv, rádio e outros meios em volumes acima dos comumente utilizados por outros indivíduos é outro importante indicador de perda auditiva.

Diagnóstico

O diagnóstico dessa deficiência costuma ser difícil. Os sintomas são gradativos, e os pacientes acabam percebendo a surdez em um estado agravado, prejudicando a eficiência do tratamento.

 Para evitar essa situação, é fundamental permanecer realizando exames periodicamente após a descoberta da diabetes, a fim de detectar precocemente a perda auditiva ou qualquer outra mazela advinda da doença inicial.

Tratamento

Primeiramente, uma dieta balanceada e a prática regular de exercícios físicos são fundamentais no controle da glicemia, ajudando também a prevenir demais consequências da diabetes, como a perda auditiva. 

 Em casos nos quais o estágio da deficiência está mais avançado, o problema é resolvido por meio do implante de um aparelho auditivo. O médico orienta o paciente de acordo com as especificidades de cada contexto. O acompanhamento profissional deve ser encarado como obrigatório.

Alô Valparaíso/* Com informações