Compartilhe esta matéria!

1% da população mundial é intolerante ao glúten, queda capilar é um dos principais sintomas

Muitas pessoas buscam apenas suplementação para a queda capilar, mas ela está associada também à doença celíaca. É preciso estar atento aos sintomas, mesmo que leves, e procurar atendimento. O diagnóstico e as orientações não são tão simples e devem ser acompanhados corretamente”, explica a especialista

    Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 1% da população mundial é intolerante ao glúten. Esta relação é devido ao fato de o glúten causar uma inflamação crônica na parede intestinal, provocando alteração da permeabilidade e, assim, prejudicando toda a absorção, trazendo danos a outros tecidos do corpo. Mesmo com uma alimentação saudável, caso não haja absorção adequada no intestino, o nutriente não chega às células, forçando uma priorização metabólica. A queda dos cabelos também é um sinal da intolerância ao glúten.

         “Muitas pessoas buscam apenas suplementação para a queda capilar, mas ela está associada também à doença celíaca. É preciso estar atento aos sintomas, mesmo que leves, e procurar atendimento. O diagnóstico e as orientações não são tão simples e devem ser acompanhados corretamente”, explica a tricologista funcional Valine Alencar.

         Há estudos que associam esses dois tipos de queda de cabelo com maior frequência em pacientes celíacos do que no restante da população. Na queda do cabelo de forma difusa, os fios caem de toda parte da cabeça, porém em pontos distintos. Este tipo de queda ocorre devido à dificuldade de absorção de diversos nutrientes no intestino, que são importantes para o crescimento dos fios. Quando às placas de alopecias no couro cabeludo, essa alteração é devido à inflamação da parede do intestino, o que aumenta a penetração de substâncias tóxicas e alérgicas. O sistema de defesa é ativado e inicia a produção de anticorpos que atacam estruturas saudáveis, neste caso o folículo piloso, causando a alopecia areata.

Alô Valparaíso/