Ortodents: A melhor clínica odontológica de Valparaíso Leia Mais

O melhor escritório de contabilidade de Valparaíso Leia Mais

 

Transição na Celg deve ser iniciada em janeiro

No último bate-papo do ano realizado com internautas por meio do Facebook Live, o governador Marconi Perillo informou que a transição do comando da Celg Distribuição S.A. para a Enel Brasil, empresa que a arrematou em leilão na última semana, deve ser feita a partir do mês de janeiro de 2017. De acordo com ele, na quinta-feira, 8, ele irá receber o presidente e a diretoria da Enel para começar “as tratativas formais” do processo de transição.

O governador voltou a se declarar convicto de que, a partir de agora, a Celg será uma empresa de ponta dentre as distribuidoras de energia do Brasil e dará muito orgulho à população goiana. Ele voltou a dizer que os recursos que cabem ao Estado com a venda da Celg D, cerca de R$ 1,1 bilhão, serão direcionados a investimentos em áreas estratégicas da administração, como Saúde, Educação, construção de hospitais, credeqs e rodovias.

A Celg Distribuição S.A. foi vendida à empresa italiana Enel Brasil em leilão de privatização por mais de R$ 2,1 bilhões e ágio de 28%. No processo de venda, segundo Marconi, foram envolvidos aproximadamente R$ 8 bilhões, sendo R$ 2,2 bilhões o montante que a Enel pagará pelo arremate da Celg, R$ 4 bilhões destinados à quitação de dívidas da empresa e cerca de R$ 2 bilhões priorizados para investimentos no setor de energia em Goiás ao longo de dois anos.

Confira a íntegra do que dissse o governador:
“Em primeiro lugar, é preciso falar da importância e do sucesso desse leilão da Celg Distribuição. Ele superou todas as nossas expectativas. O ágio foi de 28%, R$ 400 milhões a mais do que o preço do edital. Isso, na minha opinião, além da importância estratégica para Goiás, também revelou a volta da confiança no Brasil. Uma empresa como a Enel, que é uma das maiores de energia do mundo, um dos gigantes do mundo, é uma demonstração de que o setor produtivo mundial e os grandes conglomerados e as multinacionais voltam a acreditar no País. Na minha opinião, foi uma demonstração de confiança.

Agora, o mais importante é que nessa operação foram envolvidos aproximadamente R$ 8 bilhões, além dos quase R$ 2,2 bilhões que a Enel pagará pelo arremate da Celg, ela pagará R$ 4 bilhões em dívidas da empresa e ainda vai investir cerca de R$ 2 bilhões ao longo de dois anos. Ou seja, o Governo de Goiás terá para investimento R$ 1,1 bilhão por conta da metade das ações e outros R$ 2 bilhões vão ser investidos na melhoria do sistema de energia de Goiás pela empresa que comprou a Celg. Eu não tenho dúvida de que será muito bom para o consumidor, para o cidadão, para as empresas que estão esperando a construção de mais subestações para atender a novas demandas de indústrias, do agronegócio, serviços, comércio e, principalmente, para melhorar a energia nas residências.

À medida que se faz um investimento de R$ 2 bilhões, fica bem mais distante a possibilidade de termos apagões ou eletrodomésticos queimados. Esses investimentos vão ser fundamentais para que a Celg seja uma das melhores distribuidoras de energia do País. Então, foi um negócio bom para todo mundo. Nós comemoramos porque eu não tenho dúvidas de que todos vão ver a melhoria daqui para frente. E não haverá aumento de tarifa, pois esses aumentos são definidos anualmente pela Aneel, que é a Agência Nacional de Energia Elétrica, e isso vale para quem é público e quem é privado. Sobre o início do trabalho, eu acho que eles devem começar em janeiro. Eles têm um prazo de transição. Agora no dia 8, vou receber o presidente da Enel com sua diretoria e vamos começar as tratativas formais para a vinda deles para o Brasil e para Goiás”.

Da Redação (com as informações do Goiás Agora)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Web Design BangladeshBangladesh Online Market